22 de out de 2013

Darwin no pampa



“[Os gaúchos] com a mesma facilidade com que se curvam no seu gracioso cumprimento, parecem dispostos, caso se lhes apresente a ocasião, a cortar a garganta ao próximo.”

A impressão é do naturalista britânico Charles Darwin sobre os gaúchos do pampa uruguaio em 1832, quando de passagem por Las Minas, próximo a Maldonado. Isso está anotado em “Diário das Investigações sobre a História Natural e Ge...ologia dos Países Visitados durante a Viagem ao Redor do Mundo pelo Navio de Sua Majestade 'Beagle' sob o Comando do Capitão Fitz Roy”, publicado em 1871 e cuja seleção de trechos foi editada pela Abril com o título (bem mais sintético!) “Viagem de um Naturalista ao Redor do Mundo”, traduzida do inglês por J. Carvalho. A viagem foi fundamental em sua vida e em sua obra revolucionária, como a “Origem das Espécies”.

Darwin é daqueles gênios multi-habilidosos, intelectuais polivalentes, que transitava por muitos estudos, mesmo que com focos de interesse evidentes. Nesta "Viagem de um Naturalista...", em muitas ocasiões, além da história natural e geologia referido no título original, há muito de zoologia, botânica e geografia, além da mais humanísticas etnografia ou antropologia, sociologia e história. Evidente que é preciso considerar os limites de seu tempo, que lhe marcam o olhar, além do estilo literário. Tudo está escrito num sabor de diário, com inúmeras passagens encantadoras e divertidas, revelando a curiosidade e astúcia perceptiva e capacidade narrativa deste homem, tão basilar no pensamento contemporâneo, que balançou todos os campos do saber e posturas da civilização ocidental.

Um trecho maior onde está a citação acima (p. 15):

“Passamos a noite numa pulpería ou bodega [que também fazia as vezes de pousada]. À noitinha, numerosos grupos de gaúchos vinham beber e fumar. Estes indivíduos possuem aparência muito notável. São geralmente altos e elegantes, mas têm na fisionomia uma expressão de altivez e dissolução que lhes soa mal. É comum entre eles o uso de bigodes, e os cabelos caem-lhes pelas costas em longos cachos negros. O colorido vivo do vestuário, as grandes esporas tilintando no salto das botas, e a faca enfiada na cintura como punhal (e freqüentemente usada como tal) dão-lhe a impressão de serem uma raça de homens muito diferente da que se poderia esperar do nome que levam, gaúchos, que quer simplesmente dizer 'homens do campo'. São de uma excessiva delicadeza. Nunca levam o copo aos lábios sem esperar que o conviva o tenha feito primeiro. Contudo [e aqui segue o fragmento menor que eu pincei e colei lá em acima], com a mesma facilidade com que se curvam no seu gracioso cumprimento, parecem dispostos, caso se lhes apresente a ocasião, a cortar a garganta ao próximo.”



*Na ilustração, Darwin jovem, no começo de susa tregjetória como naturalista (Fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Charles_Darwin_by_G._Richmond.jpg)

Nenhum comentário: